domingo, 26 de março de 2017

CNBB ENVIA MENSAGEM DE CONDOLÊNCIAS PELO FALECIMENTO DE DOM MARCELO PINTO CARVALHEIRA

Nota de condolências pelo falecimento de dom Marcelo Pinto Carvalheira



Brasília, 26 de março de 2017


Caro Administrador Apostólico: Dom Genival Saraiva de França.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta pesar pelo falecimento de dom Marcelo Pinto Carvalheira, arcebispo emérito da Paraíba, ocorrido neste sábado, 25 de março de 2017, na cidade de Recife (PE).

Dom Carvalheira prestou grandes serviços à nossa Conferência, especialmente nos períodos em que coordenou o Setor Leigos e CEBs e também quando participou da presidência da CNBB entre 1998 e 2003, quando ocupou a vice-presidência e colaborou com dom Jayme Henrique Chemello e o Cardeal Raymundo Damasceno, presidente e secretário-geral, respectivamente.

O Brasil conhece o itinerário de compromisso com os pobres e de fidelidade à Igreja, ao Evangelho e a Jesus Cristo de dom Marcelo. Como monge beneditino, bispo auxiliar da Paraíba, bispo de Guarabira e arcebispo da Paraíba, ele sempre esteve presente e atuante nas mais importantes reflexões e ações da Igreja local e na CNBB. Louvamos e agradecemos a Deus pela presença de dom Marcelo em nossa caminhada eclesial.

Seu lema episcopal, “Evangelizar”, é, ao mesmo tempo, marca da sua vida e missão e legado para todos que estão no seguimento de Cristo Jesus.

Na morte e ressurreição de dom Marcelo, nos unimos para rezar pelo senhor, Dom Genival, pelos familiares de dom Marcelo e pelo povo das Igrejas Particulares por onde ele passou e deixou seu rastro de bondade e de cuidado pastoral.


Dom Leonardo Steiner
Bispo auxiliar de Brasília (DF)
Secretário-geral da CNBB


Fonte: CNBB

DOM MARCELO PINTO CARVALHEIRA FALECE AOS 88 ANOS


Dom Marcelo Pinto Carvalheira era arcebispo emérito da Paraíba.

Faleceu neste sábado, 25 de março, aos 88 anos, o arcebispo emérito da Paraíba, dom Marcelo Pinto Carvalheira. Ele exerceu a vice-presidência da CNBB no período de 1998 a 2003.

Trajetória

Filho de Álvaro Pinto Carvalheira e Maria Tereza Mendonça Carvalheira, dom Marcelo entrou no Seminário Arquidiocesano de Olinda, em 1944. Em 1946, foi para a Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, onde cursou a Filosofia e a Teologia e se especializou em Teologia Dogmática.

Ordenado padre no dia 28 de fevereiro de 1953, foi Professor de Teologia no Seminário de Olinda; Diretor Espiritual do Seminário; primeiro reitor do Seminário Regional do Nordeste Olinda; Assistente Eclesiástico da Ação Católica e Subsecretário do Regional Nordeste 2 da CNBB.

Durante o regime militar no Brasil, defendeu os líderes católicos perseguidos, sendo ele mesmo preso e torturado. 

Foi nomeado bispo auxiliar da Paraíba, em 29 de outubro de 1975. Em 9 de novembro de 1981, foi transferido para a Diocese de Guarabira, na Paraíba. Em 29 de novembro de 1995 foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba, onde se tornou emérito em 2004.

Velório e sepultamento

Segundo informações da Arquidiocese da Paraíba, O corpo de Dom Marcelo Pinto Carvalheira será velado neste domingo, dia 26, a partir das 10h, na Catedral da Sé em Olinda (PE). A Missa de Corpo Presente será às 16h. Depois, o corpo será levado para a Catedral da Luz, em Guarabira (PB), onde será velado durante a noite. Na segunda-feira, dia 27, pela manhã, haverá uma Missa em Guarabira, e logo após o corpo será levado para João Pessoa, com chegada prevista para às 9h30. O velório será na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves. A Missa de Exéquias, seguida do sepultamento, está marcada para às 16h.


Fonte: CNBB
Foto: Página no Facebook

quinta-feira, 9 de março de 2017

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL SAÚDA O NOVO ARCEBISPO DA PARAÍBA DOM MANOEL DELSON PEDREIRA DA CRUZ

O secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner, assina saudação da entidade a dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, bispo de Campina Grande (PB) que assumirá o comando da vacante arquidiocese da Paraíba (PB). A notícia da sua nomeação foi dada na manhã desta quarta-feira, 08 de março de 2017. 

Leia a nota:

Brasília, 08 de março de 2017

Prezado Irmão, Dom Delson Pedreira Cruz.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebe com alegria a sua nomeação como Arquidiocese da Paraíba. Manifestamos também a nossa gratidão ao Papa Francisco pelo cuidado permanente com a Igreja no Brasil.

Desejamos que seu novo pastoreio seja cheio de frutos. E para celebrar essa nova fase do seu ministério episcopal trazemos as palavras do Papa Francisco dirigida aos participantes do Encontro com Bispos Novos em setembro de 2014: “nos Pastores que Cristo concede à Igreja, Ele mesmo ama a sua Esposa e oferece a sua vida por Ela (cf. Ef 5, 25-27). O amor torna semelhantes aqueles que o compartilham; por isso, tudo o que é belo na Igreja provém de Cristo, mas também é verdade que a humanidade glorificada do Esposo não desprezou as nossas características. Dizem que depois de anos de intensa comunhão de vida e de fidelidade, até nos casais humanos os traços da fisionomia dos esposos se comunicam gradual e reciprocamente, e ambos acabam por se assemelhar um com o outro”.

Enviamos o nosso abraço de agradecimento pelo serviço prestado à Igreja pelo Administrador Apostólico dom Genival Saraiva de França no período de Vacância da Arquidiocese da Paraíba.

Recordamos seu lema episcopal “Ide aos meus irmãos” (Jo 20,17) para invocarmos as bênçãos para sua vida e nos unimos ao clero e às comunidades da Arquidiocese da Paraíba para acolher o novo Pastor e para rezar pela sua ação evangelizadora.

Em Cristo,

Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília - DF
Secretário-Geral da CNBB


Fonte: CNBB

DOM MANOEL DELSON PEDREIRA DA CRUZ É O SÉTIMO ARCEBISPO DA PARAÍBA

A posse de Dom Delson como Arcebispo Metropolitano da Paraíba está marcada para o dia 20 de maio. Ele vai ser o sétimo Arcebispo.

O primeiro Bispo foi Dom Adaucto Aurélio de Miranda Henriques, que assumiu o cargo em 1894. Tornou-se Arcebispo em 14/07/1914. Data de falecimento: 15/08/1935.

O segundo Arcebispo foi Dom Moisés Sizenando Coelho, que tomou posse em 1935. Data de falecimento: 18/04/1959. Dom Manuel Pereira da Costa foi Bispo Auxiliar da Paraíba de 1954 a 1959.

O terceiro Arcebispo foi Dom Mário de Miranda Vilas-Boas, que assumiu o cargo em 1959. Data da Renúncia: 21/05/1965. O Mons. Pedro Anísio Bezerra Dantas foi Vigário Capitular da Arquidiocese da Paraíba de 21/05/1965 a 27/03/1966 (período compreendido entre a renúncia de Dom Mário e a posse de Dom José).

A Arquidiocese da Paraíba tem 3 Arcebispos Eméritos (aposentados): Dom José Maria Pires, que ficou a frente da Arquidiocese de 1966 até 29/11/1995; Dom Marcelo Pinto Carvalheira, que governou a Arquidiocese de 1996 até 05/05/2004. E Dom Aldo di Cillo Pagotto, que foi Arcebispo titular de 2004 até 06/07/2016.

De julho de 2016 até a data da posse de Dom Delson, Dom Genival Saraiva de França fica no cargo de Administrador Apostólico da Arquidiocese da Paraíba.



Assessoria de Imprensa e Comunicação da Arquidiocese da Paraíba

Foto: Adelmo de Medeiros

NOVO ARCEBISPO DA PARAÍBA FOI BISPO DE CAICÓ / RN (2006) E DE CAMPINA GRANDE / PB (2012)

Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz nasceu aos 10 de julho de 1954, no município de Biritinga, Estado da Bahia, Arquidiocese de Feira de Santana, atualmente Diocese de Serrinha.

Entrou no Seminário Menor dos Capuchinhos em Feira de Santana (BA), em 1967, onde também fez o Postulantado.

Fez o ano canônico do Noviciado na cidade de Vitória da Conquista (BA), em 1974. Emitiu a primeira profissão religiosa aos 15 de janeiro de 1975 e a Profissão Perpétua aos 17 de janeiro de 1978.

Cursou Filosofia e Teologia em Nova Veneza (SP), Instituto de Filosofia e Teologia da Província dos Capuchinhos de São Paulo, completando os seus estudos teológicos no Instituto de Teologia da Universidade Católica de Salvador (BA).

Foi ordenado sacerdote a 5 de julho de 1980 em Feira de Santana (BA).

Obteve a licenciatura em Letras pela Universidade Católica de Salvador (BA), em 1987, e o Mestrado em Ciência da Comunicação Social, em Roma, na Pontifícia Universidade Salesiana (1995-1998).

Atividades exercidas:

1981 - Formador dos Aspirantes, Vigário Paroquial e Vigário da Fraternidade em Feira de Santana (BA).

1984 - Formador do Pós-noviciado, Guardião e Vigário Provincial em Salvador (BA).

1986 - Ministro Provincial, cargo que exerceu por dois mandatos consecutivos, até 1992. Foi membro do Conselho de Orientação do Cefepal, hoje Família Franciscana do Brasil, e membro da diretoria da Conferência dos Capuchinhos do Brasil. Colaborou com a Paróquia de Valéria, periferia de Salvador, de 1989 a 1992.

1992 - Em Feira de Santana (BA) foi Diretor Superintendente da Rádio Sociedade de Feira de Santana e Princesa FM. E a partir de 1993, também Vigário Paroquial e responsável pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, CASEB, Diretor do Centro de Assistência Social Santo Antônio (CASSOCA).

1998 - Ministro provincial, BA, e Assistente Regional da Ordem Franciscana Secular.

2001 - Reeleito Ministro Provincial, em Salvador (BA).

2001 - No mês de março, em Roma, assumiu o cargo de Definidor Geral para a América Latina, junto à Cúria Geral dos Capuchinhos.

2006 - A 5 de julho foi nomeado pelo Papa Bento XVI, Bispo Diocesano de Caicó (RN). A Ordenação Episcopal aconteceu no dia 24 de setembro, em Feira de Santana (BA). Posse em Caicó no dia 8 de outubro de 2006.

Fez parte da Comissão Nacional de Comunicação Social e é Bispo Referencial do Regional NE II para Comunicação Social (Pascom). Foi também Bispo Referencial para as CEBs.

Como Bispo Diocesano de Caicó exerceu a presidência do Conselho Diretor da Adese (Agência de Desenvolvimento do Seridó) e membro do Seapac (Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos), no Rio Grande do Norte.

Em 5 de julho de 2012 foi nomeado pelo Papa Bento XVI Bispo de Campina Grande (PB), tomando posse em 29 de setembro do mesmo ano.

Em Campina Grande deu todo apoio ao Seminário João Maria Vianney, onde acontece a formação dos presbíteros da Diocese (Filosofia e Teologia) e acolhe seminaristas de outras Dioceses e Congregações Religiosas. Transformou os Zonais em Foranias, nomeando os respectivos Vigários Forâneos; e criou os vigários episcopais, dando-lhes funções específicas para ajudar no acompanhamento das atividades da Diocese. Também no seu período em Campina Grande organizou toda a Administração da Diocese modernizando-a e a adaptando às novas exigências da legislação vigente no País.

Continua Vice-Presidente do Regional NE 2 da CNBB, já no segundo mandato.

2017 - 8 de março, nomeado Arcebispo da Paraíba pelo Papa Francisco.



Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Arquidiocese da Paraíba

Foto: Adelmo de Medeiros

DOM MANOEL DELSON PEDREIRA DA CRUZ É O NOVO ARCEBISPO DA PARAÍBA

Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap, foi nomeado, nesta quarta-feira, dia 8 de março de 2017, pelo Papa Francisco, o novo Arcebispo Metropolitano da Paraíba. Dom Delson vem transferido da Diocese de Campina Grande (PB), que passa a ficar vacante, ou seja, sem Bispo titular.

Em Carta dirigida a todos da Arquidiocese da Paraíba, o Arcebispo eleito da Paraíba diz: “O Papa Francisco me confiou a responsabilidade de cuidar desta porção do Povo de Deus e eu aceitei. Sei que o novo é sempre surpreendente! Os desafios que enfrentarei são grandes. Eles serão caminhos de crescimento pessoal e oportunidade de servir à Igreja, na tríplice dimensão de ensinar, santificar e apascentar os que estarão sob os meus cuidados”, e afirma: “Creio, firmemente, que Deus é quem me envia para a Arquidiocese da Paraíba. Procurarei fazer sua vontade e ser o Pastor que o Povo precisa e merece. Como cristão, serei vosso irmão, vivendo os compromissos do nosso batismo e a nossa comum filiação divina. Como Arcebispo serei o vosso pastor, colocando-me, como Deus quer, a serviço do vosso crescimento humano, espiritual e moral”.
Leia, a seguir, a Carta completa:

Campina Grande (PB), 08 de março de 2017.

À Arquidiocese da Paraíba,
Seu Administrador Apostólico e Bispo Emérito de Palmares
Dom Genival Saraiva de França,
Aos Presbíteros, Diáconos, Religiosos(as), Seminaristas, Autoridades, colaboradores da Arquidiocese, membros das Pastorais, Movimentos, Serviços e Comunidades Novas, funcionários, e aos fieis da Arquidiocese da Paraíba:

Saúdo a todos, em Cristo Jesus!

Que o Senhor Jesus, neste tempo quaresmal, nos dê a inspiração evangélica para aceitar e cumprir seus desígnios.

Acabo de ser nomeado Arcebispo da Paraíba pelo Papa Francisco, uma vez que a Arquidiocese estava vacante desde a renúncia de Dom Aldo di Cillo Pagotto. Fui escolhido pela Igreja para esta missão. Ao Santo Padre que me nomeou e demonstrou grande confiança em mim, sou muito grato. Sei que o Senhor me acompanha com sua graça e sua proteção.

A Arquidiocese da Paraíba estava necessitando do seu Arcebispo. Havia um anseio muito grande neste período de vacância. O Papa Francisco me confiou a responsabilidade de cuidar desta porção do Povo de Deus e eu aceitei. Sei que o novo é sempre surpreendente! Os desafios que enfrentarei são grandes. Eles serão caminhos de crescimento pessoal e oportunidade de servir à Igreja, na tríplice dimensão de ensinar, santificar e apascentar os que estarão sob os meus cuidados.

A partir de hoje, sou o Arcebispo nomeado da Paraíba e no dia 20 de maio próximo iniciarei o meu ministério frente ao Povo de Deus nesta Arquidiocese centenária.

Conhecendo o Povo Paraibano, sei que sua tradição de fé e sua religiosidade são base de muita esperança. Nós pertencemos a Deus e Ele nos assiste e protege. Estamos todos em suas mãos e nele confiamos. Busquemos, então, sua santa vontade e “tudo nos será dado por acréscimo” (Mateus 6, 33).

A Igreja é Comunidade de pessoas de fé. O Clero é formado de homens de fé! Os movimentos, pastorais, serviços, vida consagrada e comunidades novas são constituídos de pessoas que têm fé e se abandonam nas mãos de Deus, procurando servi-lo. Este servo da Igreja é, também, homem de fé!

Deus Pai nos ama e nos leva pelos seus caminhos quando seguimos firmemente seus ensinamentos, revelados pelo seu Filho Jesus Cristo. Assim, tornamo-nos de verdade discípulos e missionários do Senhor e, em Jesus, filhos queridos do Pai.

“Ide aos meus irmãos” é o meu lema episcopal inspirado no Evangelho de João 20, 17. Desse modo, venho até os meus irmãos da Arquidiocese da Paraíba para me colocar como um irmão. Terei como modelo Nosso Senhor Jesus Cristo, que veio para servir e não para ser servido. Serei vosso irmão! Um irmão que tem a missão de pastorear como Pai e orientar, segundo as indicações da Igreja. Um irmão que quer caminhar junto, ao lado de todos. Meu coração agora é vosso! Participarei da vossa alegria, da vossa esperança, da vossa fé e, também, do vosso sofrimento e das vossas inquietações, procurando colocar tudo sob a luz de Cristo. Ele nos iluminará e guiará nossos passos.

Estou consciente da complexidade da Arquidiocese! Para apascentá-la de acordo com a inspiração de Jesus Cristo, o Bom Pastor, conto com os Presbíteros e Diáconos, meus auxiliares diretos! Conto também com todo o povo querido da Arquidiocese! Preciso do vosso apoio, da vossa disponibilidade, da vossa generosidade, da vossa obediência e fidelidade a Cristo, através da Igreja e deste servidor! Conto também com a atenção dos meus irmãos no Episcopado desta Província Eclesiástica da Paraíba e do nosso Regional Nordeste II da CNBB. Conto com as vossas orações!

Creio, firmemente, que Deus é quem me envia para a Arquidiocese da Paraíba. Procurarei fazer sua vontade e ser o Pastor que o Povo precisa e merece. Como cristão, serei vosso irmão, vivendo os compromissos do nosso batismo e a nossa comum filiação divina. Como Arcebispo serei o vosso pastor, colocando-me, como Deus quer, a serviço do vosso crescimento humano, espiritual e moral.

Que Nossa Senhora das Neves, Mãe e Padroeira da Paraíba, interceda por nós e sempre nos acompanhe com sua terna proteção!

“O Senhor nos abençoe e nos guarde! Volte o seu rosto para nós e de nós tenha misericórdia! Senhor nos dê a paz”. Amém!

Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap
Arcebispo eleito da Paraíba



Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Arquidiocese da Paraíba

Foto: Adelmo de Medeiros

quarta-feira, 8 de março de 2017

COMUNICADO DE DOM GENIVAL SARAIVA DE FRANÇA, ADMINISTRADOR APOSTÓLICO DA ARQUIDIOCESE DA PARAÍBA

O Administrador Apostólico da Arquidiocese da Paraíba, Dom Genival Saraiva de França, tem um importante comunicado a fazer nesta quarta-feira, dia 8 de março de 2017:

“Comunico aos presbíteros, diáconos, religiosos, religiosas, seminaristas e aos fiéis católicos da Arquidiocese da Paraíba e das Dioceses da Província Eclesiástica da Paraíba, às autoridades constituídas, aos paraibanos e paraibanas, que recebi esta alegre notícia do Sr. Núncio Apostólico, Dom Giovanni d’Aniello, no dia 20 de fevereiro: ‘Tenho a satisfação de lhe comunicar oficialmente que o Santo Padre Francisco nomeou Arcebispo dessa vacante Arquidiocese da Paraíba o Excelentíssimo Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap., transferindo-o da sede episcopal de Campina Grande, Estado da Paraíba’.

Comunico, ainda, que a posse canônica de Dom Manoel Delson, como 7º Arcebispo Metropolitano, está marcada para o dia 20 de maio próximo, quando se tornará plena a alegria dessa ‘porção do Povo de Deus’ - a Arquidiocese da Paraíba”.



Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Arquidiocese da Paraíba

PARAÍBA TEM NOVO ARCEBISPO: DOM MANOEL DELSON PEDREIRA DA CRUZ

O Papa Francisco nomeou o novo Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese da Paraíba: Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, O.F.M.Cap. Até então, Dom Manoel era Bispo da Diocese de Campina Grande (PB).

O novo Arcebispo nasceu em 10 de julho de 1954 em Biritinga, Arquidiocese de Feira de Santana, no Estado da Bahia. Emitiu a profissão perpétua na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em 17 de janeiro de 1978 e foi ordenado sacerdote em 5 de julho 1980.

Em 5 de julho 2006 foi nomeado Bispo de Caicó e recebeu a ordenação episcopal no dia 24 de setembro no mesmo ano. Em 8 de agosto de 2012 foi transferido para a Diocese de Campina Grande.

Atualmente, é Vice-Presidente da Conferência Episcopal Regional Nordeste 2, que compreende os estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.


Fonte: Rádio Vaticano
Foto: Adelmo de Medeiros

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

EM MARÇO, PRIMEIRO CONGRESSO DAS RÁDIOS CATÓLICAS BRASILEIRAS

Nos dias 28 e 29 de março, em Aparecida, se realizará o primeiro Congresso das rádios católicas brasileiras, promovido pela Rede Católica de Rádio (RCR), com o apoio da Comissão Episcopal para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Este momento de compartilha e de crescimento comum terá como tema principal a passagem das transmissões radiofônicas das frequências AM para FM.

O Arcebispo de Diamantina, que é o Presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação, Dom Darci José Nicioli, convidou as emissores a participarem do Congresso, e recordou o primeiro encontro nacional das rádios católicas, em fevereiro do ano passado, sobre o tema da digitalização, destacando que “foi de grande benefício para todos os participantes".

Segundo as indicações enviadas a Fides, o evento deste ano fornecerá uma abordagem jurídica e técnica ao problema, já que existem muitas dúvidas acerca do processo de migração da AM para FM. Por isso, se destaca a necessidade da presença dos responsáveis pelas rádios de propriedade da Igreja, ou a ela associadas, para tomar decisões bem ponderadas e juridicamente fundamentadas.


Fonte: Agência Fides

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

NOVA FRENTE MISSIONÁRIA NA AMAZÔNIA PARA OS MISSIONÁRIOS ITALIANOS FIDEI DONUN

“O coração da Igreja de Roraima, extremo norte da Amazônia brasileira, bateu forte de alegria na acolhida da Igreja-irmã de Pádua que, sábado, 21 de janeiro, selou seu compromisso de abrir uma nova frente missionária neste canto da Amazônia, no confim com a Venezuela e a Guiana inglesa”. É o que revela à Fides pe. Lucio Nicoletto, primeiro missionário fidei donum da diocese italiana, que com pe. Benedetto Maria Zampieri, assumiu a direção da paróquia São José Operário, na cidade de Caracaraí, quase no centro da diocese de Roraima, a única no Brasil que possui um território que corresponde ao estado homônimo, pertencente à República Federativa do Brasil.
 
“O caminho que levou a diocese de Pádua a amadurecer esta escolha foi longo e sofrido”, continua pe. Lucio. “Desde 1953, os missionários paduanos se empenharam principalmente no território da Baixada Fluminense, na periferia do Rio de Janeiro. Mas já na década de 80, emergiu entre eles a exigência de não reduzir a visão e o engajamento no Brasil a este território específico.

Hoje, depois de anos de reflexão, oração e diálogo, as Igrejas de Pádua e de Roraima agradecem ao Senhor por esta Epifania do Espírito, que se manifesta visivelmente no compromisso missionário entre duas Igrejas em diálogo e cooperação. Neste contexto, não se pode esquecer o sacrifício concreto de pe. Ruggero Ruvoletto, fidei donum paduano barbaramente assassinado em Manaus em setembro de 2009.

Após a experiência missionária em Manaus, trabalhou para abrir os olhos e o coração da Igreja de Pádua a acolher o grito dos povos da Amazônia imersos em um contexto de injustiça s sociais e exploração ambiental sem precedentes. Seu sangue, sinal de martírio e de profecia, nos recorda a dimensão missionária de todos os batizados e de toda a Igreja, uma dimensão que se faz profecia sobretudo quando acolhe o grito dos pobres e oprimidos do planeta e renova a opção preferencial de caminhar com eles no caminho de Cristo”.


Fonte: Agência Fides